Sustento de Missionários

segura corda

“Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho.”

    (1 Co 9:14 )

 

                    Os missionários e os obreiros em geral são sustentados financeiramente pela igreja. A fonte ou origem desses recursos é a própria igreja. Foi Deus quem estabeleceu que o crente contribua para que o seu povo tenha os recursos suficientes para a expansão do evangelho e manutenção da obra do Senhor.

Quando falamos sobre contribuição para missões, sempre tem alguém que diz:

 – Eu já dou o dízimo e assim já faço missões. Vamos pontuar as diferenças entre dízimos e ofertas.

 Dízimos. O dízimo é a décima parte da renda de uma pessoa. À luz de 1 Co 16.2 é a contribuição financeira mínima que o crente deve oferecer para a obra de Deus. Já existia antes da lei (Gn 14.20; 28.22); instituído por Moisés na lei (Lv 27.30; Dt 14.22). O povo devia levar para os levitas e sacerdotes, pois não tiveram possessão da terra (Nm 18.21-24; Hb 7.5), para que haja mantimento na Casa de Deus (Ml 3.10). Eles, por sua vez, pagavam deles os dízimos dos dízimos (Nm 18.26). O Senhor Jesus manteve os dízimos na Nova Aliança (Mt 23.23). 

 Ofertas alçadas. Além dos dízimos, havia também as ofertas alçadas para fins específicos, como na construção do tabernáculo, no deserto (Êx 25.2). Convém lembrar que oferta alçada não é o mesmo que dízimo (Ml 3.10). Ambos são bíblicos e atuais, mas são diferentes. As ofertas alçadas são esporádicas, principalmente para construção de templos e outras necessidades caso queira o doador. Os dízimos são contínuos.

 

                              BASES BÍBLICAS PARA O SUSTENTO DO MISSIONÁRIO

A igreja de Corinto não era generosa. Os irmãos da igreja de Corinto eram insensíveis às necessidades do apóstolo. Outras igrejas sustentaram Paulo para que o mesmo pudesse servir aos coríntios (2 Co 11.8). Depois que o apóstolo deixou a cidade, apresentou a sua defesa. Partindo de um raciocínio lógico, “quem jamais milita à sua própria custa?” (v.7), ele busca no sistema sacerdotal, estabelecido na lei de Moisés, o argumento para fundamentar essa verdade (1 Co 9.9,10), e também nas palavras do próprio Senhor Jesus (1 Co 9.14).

Essa é uma referência a Mt 10.10; Lc 10.7, como ele deixa mais claro em outro lugar (1 Tm 5.17,18).

Fazedores de tendas. Na cultura judaica era comum aos pais ensinarem aos filhos uma profissão alternativa; a de Paulo era a de fazer tendas (At 18.3). Utilizou-se dela para levantar seu sustento, pois temia escandalizar os irmãos e não queria correr o risco de ser interpretado como aventureiro, em Corinto. Hoje, “fazedores de tendas” é o nome que se dá aos profissionais liberais que são enviados como voluntários para prestarem serviços sociais às populações carentes nos países onde ser cristão ainda é crime. É um recurso usado para colocar legalmente um missionário num país desses; do contrário, ele nunca poderia ser aceito. 

A igreja de Filipos era generosa. A igreja de Corinto não era como a dos filipenses (Fp 4.15-19). Nenhuma igreja se preocupou com as necessidades do apóstolo, exceto a igreja de Filipos. Enviava oferta na hora em que ele mais precisava. Paulo agradecia a Deus essas ofertas “como cheiro de suavidade e aprazível a Deus” (Fp 4.16,18). É dessa mesma maneira que ainda hoje Deus recebe a oferta que você oferece para o sustento missionário. Além disso, você tem a garantia de que o Senhor suprirá todas as suas necessidades (4.19).

 

                                               COMO APOIAR OS MISSIONÁRIOS

O papel da igreja. Sãos os crentes que apóiam os missionários com suas contribuições, através da secretaria ou departamento de missões da igreja. A igreja ora, intercedendo por eles, e acompanha o seu trabalho através de relatórios escritos e também por meio de testemunhos de outros que visitam o missionário no campo. Esses responsáveis pelo sustento e pelo apoio espiritual devem entender também que fora do seu convívio a situação é muito diferente. Se não houver essa confiança, corre o risco de o trabalho no campo ficar travado. 

Apoio aos missionários. O sustento missionário inclui alimento, vestuário, moradia, educação e saúde dele, esposa e filhos. É necessário um estudo sobre o padrão de vida do país para onde vai ser enviado o missionário, a fim de que a igreja possa enviar o suficiente para o sustento dele. Nem sempre as igrejas têm acesso a essas informações, por isso existem inúmeras agências missionárias interdenominacionais, espalhadas no Brasil e em todo o mundo, com o propósito de orientar as igrejas. Hoje as igrejas estão se organizando para maior ênfase ao trabalho de missões nacionais e no exterior.

 SEMADEC Inspirada na Grande Comissão, conforme o Evangelho de Mateus capítulo 28, versículos 19 e 20 foi criada a fim de fazer o nome de Cristo conhecido em nações pouco ou ainda não alcançadas. 

 EMAD. A CGADB criou a Escola de Missões das Assembléias de Deus (EMAD), na 32ª Assembléia Geral Ordinária, em 1989, na cidade de Salvador, Bahia, para preparar e treinar futuros missionários.

               A vontade de Deus é a salvação dos perdidos da terra (1 Tm 2.4). Para que essa meta seja alcançada, Deus conta com cada um de seus filhos, com todos os seus dons e talentos. O vosso apoio aos missionários deve ser a oração, contribuição através da igreja ou de sua secretaria ou departamento de missões, contato com eles por carta, telefone, Internet, etc.

 

“Deus supre as necessidades daqueles que sustentam a obra missionária”.

 

( Lições Bíblicas CPAD 2000- 3º Trimestre /Modificado)

  

“É inconcebível que hoje, após mais de cinco décadas de experiência missionária, ainda sobreviva em nossas igrejas a concepção errônea do ‘Deus proverá’. Porque Ele já proveu o que o missionário necessita: a igreja. A proclamada fé deveria ser dirigida para outras finalidades, e não para alcançar o básico, o tangível. O obreiro de missões deve exercer a sua fé não para alcançar uma coisa que já deveria ter sido providenciada pela igreja, e sim para quebrantar os corações empedernidos e vencer as barreiras espirituais que certamente serão levantadas para impedir o seu trabalho.” (Como Ser um Missionário, CPAD, págs. 87 e 88)

Você Gostou? Concorda? ou Não? -COMENTA

Você Gostou? Concorda? ou Não? -COMENTA

3 Respostas

  1. Agreja tem perdido a visão de reino, e assim não quer mas investir no invisível, e sim em pulpitos e templos..

  2. certo bliblicamnte estar certo como fasso para ser missionaria

  3. Esta é a pergunta de todo vocacionado, para isso eu fiz um artigo – ‘Deus me chamou, e agora” https://marvyopriscila.wordpress.com/2009/07/24/deus-me-chamou-para-missoes-e-agora/ leia e terá algumas duvidas esclarecidas, se ainda tiver alguma comente novamente e estaremos prontos para responde-las. Se acha que é impossível fazer missões, leia o texto de encorajamento em: https://marvyopriscila.wordpress.com/2009/07/24/quem-chamou-o-fara/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: