Zinguinchor, Sentar e chorar, ou levantar-se e proclamar!

Zinguinchor, Sentar e chorar, ou levantar-se e proclamar!

 

Se existe um povo que sabe o que é sofrer, e que sabe o que é ouvir más noticias, talvez seja este. Quem sabe isto justifica o nome de sua capital “Zinguichor” que significa “sentar e chorar”. A região dos antigos conflitos tribais, do homem não civilizado, que viu o branco chegar e escravizar seus jovens. Navios lusófonos levavam seus valentes à escravidão por 462 anos, do porto de Casamansa, que significa rei do rio dos Cassangas. A palavra mansa quer dizer rei ou senhor, Senhores que não se importava diante de mães e parentes que sentavam e choravam por aqueles que partiam nas caravelas numa uma viagem sem volta.

 Depois, os franceses, atraídos pelo florescente comércio de carne humana, chegaram em 1459. No século XVIII, franceses e portugueses combateram entre si na região, houve sangue derramando, ver duas potentes nações brigar pelo que é seu, enquanto que a única coisa a ser feita é sentar e chorar. A partir de 1908, a Casamansa tornou-se colônia francesa, mas não integrada ao Senegal. Porém, a escravidão ainda é permanente, a escravidão espiritual; animista e Islâmica que domina 99% da população.

    Casamance viu a Segunda Guerra Mundial, foi então ai que foi criada a Federação do Mali, que reunia também Senegal e Casamansa. Então em 1947, com a liberação das atividades políticas pelas autoridades coloniais, surgiu o Bloco Democrático Senegalês, comandado por Leopold Senghor, e o Movimento das Forças Democráticas da Casamansa, que levantou a bandeira de uma nova nação significando sua liberdade em relação ao Senegal, e optou pela luta armada. Então, novamente Casamance viu muito sangue ser derramado, viu seus jovens na guerra com suas misérias e sofrimentos atendentes. Viu sua lindas praias e o grande rio Casamance com sua bela paisagem ser novamente atormentado pelo riso da metralha e o estampido dos morteiros, seus hotéis vazios e turistas fugindo de uma zona litoral comprometida. Porém, houve um tempo de trégua da guerra.

    Casamance tem uma particularidade, para chegar à capital do seu país, tem que passar por dentro de outro país, imagine a burocracia. Há duas opções; ou fazer uma grande volta, o que não compensa, ou então o melhor, mais rápido e mais barato seria ir de navio a outra parte do país. Então, no ano de 2002 em uma dessas viagens a capital, veio o terrível desastre do “Le Joola”, uma grande embarcação com o nome da tribo majoritária de Casamance, os Joolas, com mais de 2000 pessoas a bordo, ele afunda no mar de Gâmbia matando 2000 Casamancenses, e poucos sobreviventes, desastre tal, que teve que ser criando um cemitério para colocar tantos corpos, Cemitério de Kárene.

Diante de tal fato, vem uma pergunta: Quem pode ouvir o choro de Zinguinchor? Quem pode ouvir o clamor de Casamance? Pois eles suspiraram por causa da servidão a deuses, e clamam; e o seu clamor subiu a Deus (Êxodo 2:23) –  E Deus pergunta a você:  A quem enviarei, e quem há de ir ? (Isaías 6:8) Eles precisam escutar as boas novas agora antes que o mal venha. (II Reis 7:9) E como pregarão, se não há quem os envie? (Romanos 10:14) –

 A igreja do Ceará tem o ouvido o chamado de Deus, e tem sofrido com choro desse povo, e durante 4 anos  a SEMADEC tem investido na proclamação da palavra do DEUS QUE AMA TODOS OS POVOS no Oeste Africano – Senegal – Casamance – Zinguinhor – Bourofaye. Com uma bandeira começou uma guerra, mas há outra bandeira (Ex. 17.15) Jeová-nissi, ou melhor ainda, “ Jeová-Shalon”,  Ele é o Deus de Paz mesmo dentro de uma guerra declarada, diz o salmista que “ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, Nele confiaria” (Salmos 27:3) Traremos a paz, uma nova esperança e vida, vida abundante (Jo 10.10 rm 15.13).

Você tem escutado o choro de Zinguinchor?   Não é fácil fazer esta obra em um lugar esquecido pelas autoridades, com tantos misticismo e animismo. Você pode fazer esta obra acontecer, ore e invista neste povo que apesar de um passado cruel e um futuro indeciso, devido a tiros de metralhadoras e bombas que ainda se escuta isoladamente, ainda sorrir e acredita que a historia pode mudar. Nós conhecemos Aquele que muda a história do homem, de um povo e de uma nação. Existe um povo que senta e chora, então, levante-se e proclame Esperança e Vida!

 

Ore pela Paz em Zinguinchor e pelos missionários que tem investido suas vidas neste lugar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: