O Tabaski, a Páscoa e a volta de Cristo.

   

    No período em que chegamos à África, era o preparativo para a festa islâmica denominada Tabaski (nome em wolof) derivado do árabe Aïd el-Kebir conhecido como “Festival do Sacrifício”. É um importante feriado religioso celebrado por muçulmanos em todo o mundo para comemorar a vontade de Abrão de sacrificar seu filho como um ato de obediência a Deus. Contudo, foi substituído, pela vontade de Deus, por um cordeiro.

           A festa também é uma oportunidade para passar tempo com a família e amigos, momento de sacrifício e de agradecimento por poder pagar a alimentação e a habitação. Todos vestem roupas novas e os homens vão à mesquita. Logo após, cada família sacrifica um carneiro, o sangue é derramado em um buraco feito próximo à porta de cada casa.

        A carne é então dividida em três partes iguais para ser distribuída para os outros. A família come um terceiro, outro terço é dado a outros parentes, amigos ou vizinhos e, o outro terço é dado aos pobres como um dom. A base para tal festividade vem do Alcorão. É comemorado anualmente no dia 10 do mês do calendário lunar islâmico. Observando tal ritual pude notar muita semelhança com a Páscoa realizada pelos judeus, na qual no mês nisã, cada família deveria pegar um cordeiro sem mácula, macho e assim deveriam comer: “Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; e aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra”.resumido (Ler na integra – Êxodo 12:2-14) A páscoa foi originalmente uma festa para aqueles que foram libertados pela obediência direta a Deus. Serviu como prova dinâmica e final da presença e do cuidado de Deus. Sua celebração continuada por toda a congregação de Israel serviria como um memorial para as futuras gerações.

              A Páscoa é comemorada entre os meses de março e abril e marca o novo ano (Ex 12:2), pois sua origem marca o início da nova vida de Israel como um povo. É caracterizada pela escolha de um cordeiro, que é sacrificado quatro dias depois, e comido como parte de uma refeição comemorativa sendo uma festa de esperança e vida, pois significa libertação e novos começos. Sabemos que o significado da Páscoa é bem mais profundo, pois há mais de 400 anos, Deus já havia anunciado a Abraão sobre a escravidão, o tempo e a forma como seriam libertados (Gn 15:13-14). Após o tempo de trevas, chegara a hora de sair da escravidão do Egito para a riqueza, da opressão para a liberdade, da escuridão para a luz, da terra estrangeira para a terra prometida. Aleluia! Esta maravilhosa tipologia mostra-nos nossa própria salvação através de Cristo e também simboliza Sua segunda vinda. Assim como a Páscoa significou para os judeus o fim da escravidão e do sofrimento, quando nos voltamos para Cristo, nosso cordeiro pascoal, temos um novo começo (2Co 5:17). Entretanto, a libertação de Jesus é mais poderosa e maravilhosa do que a de Moisés, pois ele salva do pecado e da sua terrível penalidade. …”tome cada um para si um cordeiro…para cada casa…” (Ex 12:3). A salvação é individual. Cada pessoa deve receber o cordeiro. Contudo, esta promessa traz consigo uma esperança para a salvação da família. Como disse Jesus a Zaqueu ”..hoje veio salvação à esta casa.” (Lc 19:9). Ao carcereiro filipense Paulo e Silas disseram: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa… e, imediatamente, ele e toda a sua família foram batizados..( At 16:31, 34).

           No tabaski, eles levam um carneiro para ser sacrificado por todos da casa. E Jesus é nosso cordeiro que foi sacrificado e que hoje vive para trazer salvação para toda casa! A bíblia relata que devemos “comer do cordeiro, de lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão”, esta era a veste para viagem, e deveriam também comer apressadamente. Na ocasião, era devido à fuga repentina do Egito que se daria em breve. Entretanto, podemos observar uma grande simbologia com a volta de Cristo, na qual diariamente devemos nos alimentar do cordeiro, estando com os lombos cingidos, preparados, sabendo que partiremos em breve e apressadamente, pois logo será nossa partida para a linda Canaã celeste. Que maravilhosa promessa nós temos. Há muitos que ainda estão sacrificando carneiros, pensando que serão livres de seus pecados, enquanto temos o cordeiro de Deus que já derramou seu sangue puro por nós e que está vivo para todo o sempre! Ele prometeu que voltaria para nos levar, aleluia, precisamos proclamar esta maravilhosa mensagem! “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” João 1:29

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: